domingo, 4 de dezembro de 2016

A história e lenda de Sepé Tiaraju

A apresentação foi realizada em abril de 2014 
 E.M.E.F Professor Thiago Wurth.


Altera a Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996, modificada pela Lei no 10.639, de 9 de janeiro de 2003, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, para incluir no currículo oficial da rede de ensino a obrigatoriedade da temática “História e Cultura Afro-Brasileira e Indígena”.
Fotografia: Sirlandia Gheller

Mãe Preta, Mãe África!

Mãe Preta, Mãe África!
 A conscientização de uma história
  
Propõe encenar músicas e poesias, criando uma ponte entre esses elementos e a temática africana, relacionando o processo criativo às mães pretas brasileiras (amas de leite) à mãe África.



Fotografia: Sirlandia Gheller

Apresentação realizada no Calçadão de Canoas, em agosto de 2013.

PUXADA DE REDE no XXV ENCONTRO DE CAPOEIRA ANGOLA PALMARES

A Lenda
 Alguns contam que o ritual da Puxada de Rede começou com uma lenda.
Um pescador saiu à noite para pescar com seus companheiros, como de costume e apesar da advertência de sua mulher que o repreendeu acerca dos perigos de se entrar em alto mar à noite, se embrenhou na imensa escuridão do mar negro da noite, levando consigo apenas um a imagem de Nossa Senhora dos Navegantes. 
Sua esposa pressentindo algo ruim, foi para a beira da praia esperar o regresso do marido. Quando esta menos esperava se surpreendeu com a visão dos pescadores voltando do mar muito antes do horário previsto. Todos os pescadores voltaram com exceção do seu marido que por descuido havia caído no mar e como estava escuro nada puderam fazer. A recém viúva cai em prantos. 
 De manhã os pescadores ao puxarem a rede percebem que estava muito pesada para uma pescaria ruim e ao terminarem de puxar a rede vêem o corpo do companheiro junto aos poucos peixes que pescaram. Os companheiros então carregam o corpo do pescador nos ombros em procissão, pois não tem dinheiro o suficiente para pagar uma urna e fazer um enterro digno.
Fotografia: Sirlandia Gheller

                                         A apresentação realizada em outubro de 2012.

terça-feira, 4 de fevereiro de 2014

quinta-feira, 29 de agosto de 2013

Grupo Pode Ter Inço no Jardim é selecionado para NOVAS CENAS

Foto_Adriana Marchiori

Novas Cenas - Festival de Teatro e Circo de Porto Alegre
Grupos selecionados no edital Novas Cenas se apresentarão de 26 de agosto a 1 de setembro nos teatros municipais da cidade. São 16 selecionados, além de um espetáculo convidado e participações especiais no sábado que terá programação especial durante a tarde e noite.

Toda a programação é gratuita e as senhas serão distribuídas com 1 hora de antecedência.

31/08 - Sábado

Sala Álvaro Moreyra
14h00 às 17h30 Palco Aberto 

13h30 - início das inscrições [o palco da Sala Álvaro Moreyra estará aberto para que quem quiser apresentar um trabalho de qualquer linguagem artística, com até 20 minutos. As inscrições serão somente no dia. Teremos uma luz geral padrão e para o áudio traga sua música/trilha em pen drive ou CD/DVD].

14h00 às 17h30 - abertura com apresentação de Jeannies (dança do ventre),Sapato 42 (solo de dança) e às 14h10 iniciarão as apresentações dos inscritos no Palco Aberto.

Saguão

14h Comunidade Dançante 



Cria um espaço de busca da raiz das Danças Urbanas, como o House Dance, Hip Hop Freestyle e Popping. Com Cauan Rossoni Feversani











Foto_ Allysson Alapont e Carol Martin

Teatro Renascença
18h O Jardim Das Cerejeiras (São Paulo)
O Jardim das Cerejeiras nos atrai pela iminência do fim, que impulsiona as ações dos atores trazendo para a cena não só a crise do diálogo, mas sua reafirmação na própria encenação.
A Cia. 22 Desgraças foi criada em 2012 por atores da cidade de São Paulo. Com “O Jardim das Cerejeiras”, participou do Circuito Macunaíma, Mostra de Experimentos do TUSP e Centro Cultural Oswald de Andrade (2013).
Lotação 100 pessoas.






Foto_Adriana Marchiori



Teatro de Câmara Túlio Piva
20h O Rei da Vela (Canoas) 

Abelardo é um agiota que enriqueceu vendendo velas. Para ser melhor sucedido nos negócios e aceito na alta sociedade, planeja casar com Heloísa de Lebos, filha de uma família aristocrata falida. 
Grupo de Teatro Pode ter Inço no Jardim, 29 anos atuando 
com teatro popular. 




 01/ 09 - Domingo

Foto_Patricio Orosco
 Teatro Renascença
18h Asas de Um Sonho (Santa Maria) - Circo
A Cia. Sorriso com Arte faz uma combinação perfeita entre o imaginário e a realidade, a precisão e a ousadia, em algum lugar entre o céu e a terra, os personagens atraem o espectador para uma explosão de poesia, magia, mistério e alegria.





Foto_Bibi Jokoski
Teatro de Câmara Túlio Piva
20h Nós! (em OFF) - espetáculo convidado 

Cia Teatro Levem-nos para casa, apresenta o espetáculo de um grupo de teatro que tenta sobreviver ao caos e à loucura de uma montagem de um espetáculo. Assim, a insanidade escondida dos bastidores ganha vida cênica nesse espetáculo que revela que o teatro pode acontecer na mais silenciosa e perturbadora agonia de um bastidor.
Lotação 100 pessoas.

segunda-feira, 6 de maio de 2013

Novas Caras apresenta O REI DA VELA

01, 08, 15, 22 e 29 de maio
Teatro de Câmara Túlio Piva
Quartas às 20h
Entrada Franca




O inescrupuloso agiota Abelardo I é dono de uma fábrica de velas que ganha um tostão a cada morto brasileiro. Seu novo negócio é o casamento arranjado com Heloísa de Lesbos, a filha de um decadente barão do café,  que poderá fazê-lo entrar para a alta sociedade em troca do favor de tirar a família da falência. Todo esse jogo corrupto por poder está ainda a serviço de um tenaz Americano.

Direção João Máximo
Elenco Bruno Prandini, Cláudia Cezar, Duli Borges, Eduarda G. Máximo, Elisama Porte, Janete Costa, Joise Pirolli, Lucas Gheller, Marcos Rodrigues, Raquel Amsberg.
Produção Bruno Prandini
Projeto Gráfico Lucas Gheller     
Figurinos Maria Prandini
Iluminação Grupo CARAPATICUM

terça-feira, 15 de janeiro de 2013

Temporada O Rei da Vela na Antiga Estação Férrea

Casa cheia nos três dias de apresentação na Antiga Estação Férrea de Canoas.
Familiares, amigos, autoridades e comunidade local assistiram com olhos atentos a montagem cênica baseada no texto de Oswald de Andrade.

Confira algumas fotos da peça:

A Platéia, do ponto de vista dos atores
Heloisa de Lesbos - Noiva de Abelardo I
Clientes desesperados na jaula de Abelardo I

Mr. Jones e João dos Divãs

Abelardo I - O Rei da Vela

Fotos: Sirlândia Gheller e Diego Machado.

Você pode ver mais fotos e informações em nosso perfil no facebook.